“A inclusão do CVTMar no mapeamento da ANI espelha a importância que o projeto representa para a comunidade científica e o reconhecimento do Estado Português nesta área de investigação". destaca Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende.

Agência Nacional de Inovação coloca no mapa Centro de Investigação da Estação Radionaval

O Centro de Valorização de Tecnologia baseada em Recursos Marinhos (CVTMar), que ficará instalado na Estação Radionaval de Apúlia, foi incluído no mapeamento das infraestruturas tecnológicas, definidas pela Agência Nacional de Inovação (ANI), em resultado da sinalização efetuada em julho de 2019.

“A inclusão do CVTMar no mapeamento da ANI espelha a importância que o projeto representa para a comunidade científica e o reconhecimento do Estado Português nesta área de investigação. A crescente importância das infraestruturas de base tecnológica, pelas dinâmicas de inovação que desencadeiam, mas pela valorização da qualidade de vida e pela criação de conhecimento, levam o Município de Esposende a manter forte aposta na captação de ensino e investigação de ponta”, destaca Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende.

“A inclusão do CVTMar no mapeamento da ANI espelha a importância que o projeto representa para a comunidade científica e o reconhecimento do Estado Português nesta área de investigação”. destaca Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende.

Em março de 2015 a Câmara Municipal de Esposende e a Universidade do Minho formalizaram um Protocolo de Cooperação, com vista à instalação, no concelho de Esposende, de duas unidades dedicadas à investigação e tecnologia marinhas. O Instituto Multidisciplinar de Ciência e Tecnologia Marinha, a instalar na antiga Estação Rádio Naval de Apúlia e o Centro de Divulgação Científica de Atividades Marinhas, que ficará sediado no Forte de S. João Baptista.

Desde setembro de 2018 que o Município de Esposende é proprietário de mais de 3,5 hectares de terreno, dos 14 que formam a Estação Radionaval Almirante Ramos Pereira.

Com este mapeamento, agora publicado pela Agência Nacional de Inovação, estão criadas as condições para o lançamento definitivo do projeto.

O CVTMar vai dedicar-se à investigação básica e aplicada, com um forte enfoque na criação, proteção e valorização de conhecimento, em diversas áreas científicas que se enquadram no domínio da ciência e tecnologias marinhas.

O CVTMar assenta nas tecnologias desenvolvidas pelo Grupo de Investigação 3B’s da Universidade do Minho e seus parceiros, centradas na valorização de recursos marinhos, seus subprodutos e desenvolvimento de novos produtos e aplicações de alto valor acrescentado baseados nesses recursos, tendo como objetivo a sua transferência eficaz para contexto industrial.

O CVTMar corresponde a um Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia, especialmente focado na temática da valorização de recursos marinhos e seus subprodutos, tendo como principais domínios científicos e tecnológicos a Biotecnologia Industrial e a Engenharia Médica e como principais setores clientes, a economia circular, a indústria agroalimentar e a Saúde e Bem Estar.

O CVTMar vai dedicar-se à investigação básica e aplicada, com um forte enfoque na criação, proteção e valorização de conhecimento, em diversas áreas científicas que se enquadram no domínio da ciência e tecnologias marinhas.

Esta investigação terá impacto significativo a nível do desenvolvimento do tecido empresarial e empreendedor de toda a região do Norte de Portugal e Galiza. Permitirá, assim, valorizar as tecnologias de extração e isolamento de compostos de recursos marinhos e seus subprodutos, que apresentam elevado valor e potencial de aplicação em diversos setores, proporcionará, também, a valorização das tecnologias de criação de produtos de alto valor acrescentado, utilizando compostos ou extratos de origem marinha, como sejam novos adsorventes para remediação ambiental, compostos com atividade anti-fouling, extratos bioativos para incorporação em alimentos funcionais ou cosméticos, novas moléculas com atividade farmacológica, matrizes poliméricas, cerâmicas ou compósitas com relevância biomédica, nomeadamente como dispositivos médicos e sistemas avançados para medicina regenerativa. Estas atividades serão fundamentais para suportar a assinalável força empreendedora da região que procura concretizar o potencial da bioeconomia azul reconhecido internacionalmente.

Com a integração deste projeto no mapeamento agora publicado e na posse do terreno, o município está em condições de avançar com a elaboração do projeto, o que se prevê para breve.

Print Friendly, PDF & Email
Me gusta
Me gusta Me encanta Me divierte Me asombra Me entristece Me enfada