‘Viagem no tempo’ pela ‘rota dos castros’ começa na ‘porta do Rosal’

Monção inaugurou no passado sábado, 1 de maio, feriado nacional, a Estação Temporal ‘Viagem no Tempo–Alto Minho 4D | Rota dos Castros’ numa das casamatas da Porta do Rosal, uma das principais entradas na fortaleza de Monção.

A cerimónia, realizada esta manhã, foi presidida pelo Presidente da Câmara Municipal, António Barbosa, contando com as presenças do Primeiro Secretário da CIM Alto Minho, Bruno Caldas, o Presidente da Assembleia Municipal, Armando Fontainhas, Vereadores, Presidentes de Junta de Freguesia e elementos da Assembleia Municipal.

O espaço museológico, promotor da dinamização cultural e mobilidade turística, apresenta um conjunto de informações interativas que convidam o visitante a uma viagem até ao período castrejo, vivenciando a sua identidade coletiva e a sua presença em Monção e nos restantes municípios do Alto Minho.

A Estação Temporal “Viagem no Tempo–Alto Minho 4D | Rota dos Castros”, assumir-se-á como o ponto de partida de uma experiência enriquecedora e partilhada, reforçando a herança cultural e social do nosso povo. No fundo, pretende-se oferecer mais um local de visitação e exploração do património histórico e cultural do território concelhio e distrital.

António Barbosa realçou o reforço da oferta cultural do nosso território proporcionado pelo novo espaço, sublinhando que, em tempo de crise, é fundamental avançar na componente turística e patrimonial, preparando o concelho de Monção para responder, afirmativamente, aos próximos desafios.

Nesse sentido, referiu que este projeto de valorização do casco amuralhado de Monção terá continuidade com novas intervenções. Deixou, ainda, uma palavra à CIM Alto Minho, considerando que a Comunidade Intermunicipal é um exemplo no contexto nacional.

Por sua vez, Bruno Caldas reafirmou o papel dinamizar deste projeto intermunicipal como plataforma giratória de defesa e promoção cultural da região do Alto Minho. Enalteceu, também, a visão e capacidade dos municípios em promover o território de uma forma conjunta e partilhada.

A nova estrutura, ao serviço da cultura e do turismo, é parte integrante do Projeto “Alto Minho 4D–Viagem no Tempo”, desenvolvido pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, com financiamento do Programa Operacional Regional do Norte 2014-2020 (NORTE 2020), no montante global de 2 milhões de euros.

Consta da criação de 10 rotas culturais, uma em cada município, encontrando-se associadas a diferentes períodos da história. A saber: a Rota da Arte Rupestre e do Megalitismo, a Rota dos Castros, a Rota do Romano, a Rota do Românico ao Gótico, a Rota dos Mosteiros, a Rota dos Descobrimentos, a Rota dos Castelos e Fortalezas, a Rota do Barroco, a Rota da Arquitetura Tradicional e a Rota do Moderno ao Contemporâneo.

Print Friendly, PDF & Email
Me gusta
Me gusta Me encanta Me divierte Me asombra Me entristece Me enfada