Fernando Nogueira, alcalde de Vila Nova de Cerveira, Portugal.

Nogueira anuncia a los cerverienses que podría adoptar nuevas medidas para paliar la crisis sanitaria del Coronavirus

Este miércoles por la noche, Portugal se detuvo para mirar el discurso del Presidente de la República, anunciando la declaración del estado de emergencia nacional, como una forma de contener y mitigar el Coronavirus COVID-19.  El alcalde de Vilanova de Cerveira, Fernando Nogueira califica esta intervención de “un discurso humanista, con un fuerte énfasis en la pedagogía y la acción preventiva”.

En esta carta dirigida a los cerverienses, Nogueira hace un balance de aquellas acciones llevadas a cabo en su municipio.

“Con respecto a nuestras competencias y marco legal, mantenemos estas medidas que consideramos importantes y oportunas. Surgirán otras” dice en su misiva. Fernando Nogueira apunta, entre las nuevas, como el apoyo a las actividades económicas del Concelho.

Además, el alcalde cerveriense aplaude la actuación de los sanitarios, fuerzas de seguridad y bomberos y les agradece su servicio.

Por otra parte, se compromete a que la Câmara mantendrá actualizada la información sobre esta crisis sanitaria.

Termina el mandatario haciendo suyas cuatro palabras del presidente de la República: “Resistencia, solidariedad, coraje y verdad” frente a la situación provocada por el coronavirus.


Fernando Nogueira, alcalde de Vila Nova de Cerveira, Portugal.

Caras e Caros Cerveirenses,

– O estado de emergência nacional

Portugal parou, esta quarta-feira à noite, para assistir ao discurso de Sua Excelência, o Presidente da República, anunciando a declaração do estado de emergência nacional, como forma de contenção e mitigação do Novo Coronavírus COVID-19. Este era, de resto, um cenário há já alguns dias anunciado.

Assistimos a um discurso humanista, com uma forte tónica de pedagogia e de ação preventiva:

  • Ação preventiva de alerta para a extrema gravidade da situação no preciso momento e próximas semanas ou meses;
  • Ação preventiva que confere ao Governo os meios necessários para atuar;
  • Ação preventiva para minimizar o mais possível os efeitos nefastos na economia nacional;
  • Ação preventiva para evitar alarmismos e pânicos sociais.

A responsabilidade está nas mãos do Governo. É ao executivo de António Costa que cabe gerir este instrumento de estado de emergência. Cabe aos Portugueses dar um voto de confiança ao nosso Governo, porque da qualidade e da eficiência das medidas dependem o nosso futuro económico-social, no imediato e a curto-médio prazo.

Contenção e ponderação. Acredito que são as palavras de ordem, quer para travar a pandemia, quer para manter o mais possível as nossas rotinas. Mas o mundo nunca mais será o mesmo.

Cabe a cada um de nós, a todos, acompanhar as recomendações e diretrizes das entidades publicas, como a Direção Geral de Saúde e o próprio Governo. Acima de tudo, cumprir escrupulosamente. Extremar a higiene e reduzir o contacto social.

– Balanço em Vila Nova de Cerveira

Atempadamente, a Câmara Municipal tomou as medidas consideradas necessárias e da esfera de competências, mediante o enquadramento legal e nunca à sua margem.

A 9 de março anunciamos:

  • O encerramento temporário dos equipamentos municipais não essenciais (Piscina Municipal, Aquamuseu do Rio Minho, Arquivo Municipal, Biblioteca Municipal, Loja Interativa de Turismo, Fórum Cultural de Cerveira);
  • O evitar o atendimento presencial ao público pelos serviços da Câmara Municipal, dando prioridade ao atendimento telefónico;
  • A suspensão de toda a programação cultural e outras atividades municipais organizadas pelo/ou com apoio do Município, sendo uma das mais polémicas a Feira Semanal.

Imediatamente, elogiados por uns, criticados por muitos. Afirmava-se que eram medidas radicais, exageradas e até mesmo descabidas. Mas, nessa mesma noite e dia seguinte, praticamente todas as autarquias do Alto Minho enveredaram pelo mesmo caminho.

Mas tinha que ser feito mais, pois contra um inimigo invisível tudo parece ser insuficiente.

  • Prosseguimos com apelos para evitar aglomerados populacionais, e a verdade é que os Cerveirenses foram exímios no acatamento e respeito. Assistimos a um sábado, dia 14 de março, com as ruas desertas, sem feira, e com os agentes económicos encerrar portas voluntariamente.
  • Implementamos, no imediato, medidas internas para a proteção dos nossos trabalhadores e colaboradores municipais, de forma a protegerem-se e também ao serviço que prestam à comunidade;
  • Em conjunto com a direção Agrupamento de Escolas do concelho, preparamos medidas sociais com apoio aos bombeiros e aos alunos socialmente mais vulneráveis;
  • Convocamos, com caráter extraordinário, a Comissão Municipal de Proteção Civil para analisar e decidir sobre a aplicação no concelho do Plano de Operações Nacional para o Coronavírus COVID-19, publicado pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil;
  • Reunimos com os presidentes de junta de freguesia, pois pela proximidade e pelo conhecimento profundo da realidade local, tinham que ser agilizados alguns procedimentos ao nível de identificação de casos de idosos isolados/sem retaguarda familiar para a prestação de apoio social e já em curso;
  • Proibiu-se a realização de queimas e queimadas no concelho de Vila Nova de Cerveira, de forma a não comprometer os meios de socorro com outras ocorrências que não as da área da saúde pública;
  • Prorrogou-se a suspensão até 30 de abril de toda a programação cultural e outras atividades municipais organizadas pelo/ou com apoio do Município;
  • Avançou-se com uma campanha de sensibilização para jovens e seniores. Por um lado, temos de sensibilizar e proteger as nossas crianças e jovens pois, apesar de aparentemente os efeitos do vírus não ser tão perigoso nesta faixa etária, os jovens podem ser hospedeiros e transmissores, uma vez que são mais difíceis de disciplinar no seu contacto social. Por outro lado, temos de preservar os grupos mais vulneráveis, desde logo os nossos queridos idosos e pessoas com patologias específicas (oncológicos, diabéticos e outros). Ao defendê-los, estamos também a defender-nos a nós próprios, e àqueles que estão mais expostos ao risco, por terem que desempenhar as suas funções em prol dos outros. Por exemplo, com atitudes de recato e isolamento social estamos a preservar os serviços de saúde pois não podemos nem devemos sobrecarregá-los, sob o risco de provocar o colapso.
  • Estamos a preparar instalações de retaguarda que esperamos não ter que utilizar, mas existem, quer para operacionais como os bombeiros quer para outras situações menos desejadas que possam vir a surgir. Temos de estar preparados no âmbito do Plano Municipal de Contingência de Proteção Civil;
  • Mais recentemente, e dada a suspensão/cancelamento das atividades culturais, desportivas e lúdicas previstas para os meses de março e abril, e considerando a possibilidade da mesma medida ser aplicada a outros eventos, o Município de Vila Nova de Cerveira vai disponibilizar, no imediato, 15 mil euros para a aquisição de material necessário de higienização, a ser distribuídos pelas Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS’s) e outras entidades afetas à área social do concelho. Igualmente, as juntas de freguesia serão dotadas com verba para o mesmo objetivo e serão reforçadas as disponibilidades dos serviços municipais de intervenção social;
  • Este conjunto de medidas municipais já tiveram algum eco no setor privado. Num verdadeiro e oportuno exemplo de responsabilidade social, as empresas instaladas na Zona Industrial de Vila Nova de Cerveira propuseram-se por iniciativa própria ou após contacto efetuado pelo executivo ceder material de higienização excedente, de modo a ser gerido pela autarquia conforme as necessidades e ocorrências. A disponibilização de máscaras e de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’S), permitindo criar um stock que dá algum conforto para enfrentar situações de maior emergência, no âmbito da prevenção e contenção da pandemia do Novo Coronavírus COVID-19.

– Futuro: Continuidade de desenvolvimento sustentável do concelho

Daquilo que são as nossas competências e enquadramento legal, mantemos estas medidas que consideramos importantes e oportunas. Outras surgirão.

Estamos a estudar medidas de apoio a atividades económicas do concelho, e o impacto nas famílias. A atividade económica é a que se ressente no imediato, mas também se prevê os efeitos nefastos económicos sociais nos agregados familiares. Por isso, temos de agir com cautela e com precaução e não destruir a atividade produtiva, sinónimo de fontes de rendimentos.

Sempre dissemos que o que nos movia era o bem-estar das pessoas, numa política de proximidade, e agora, mais do que nunca, cá estaremos para prestar os apoios dentro das nossas competências.

Optamos por uma política de intervenção e de atuação no terreno. Preferimos ser formiga do que cigarra.

Estaremos sempre atentos ao evoluir da situação com medidas adequadas ao momento e que serão implementadas. A atuação do Município de Vila Nova de Cerveira mantém-se firme na prossecução dos objetivos, mas nesta fase dará prioridade na ajuda para debelar as consequências. É verdade que somos um grão de areia no deserto, mas até esse grau de areia tem o seu valor. Por isso pedimos a compreensão dos Cerveirenses.

Deixo uma palavra de agradecimento e de coragem para os nossos profissionais de saúde que têm dado, no nosso entendimento, a melhor resposta possível, assim como às forças de segurança e bombeiros. Continuamos a contar com eles, e o Município de Vila Nova de Cerveira estará disponível para colaborar e intervir quando assim considerarem oportuno.

Em tempo de crise, muita coisa se diz e nem sempre o que se diz é.

Neste sentido, a Câmara Municipal compromete-se a manter a informação permanentemente atualizada e credível através dos canais de comunicação próprios. Seja no website da Câmara Municipal (cm-vncerveira.pt), no Facebook (município de vila nova de Cerveira), no Instagram (município vn Cerveira), nos programas próprios da autarquia na Rádio Cultural de Cerveira, e na Página autárquica do Cerveira Nova.

Pego nas quatro palavras de Sua Excelência, o Presidente da República para derrubarmos este inimigo invisível: Resistência, solidariedade, coragem e verdade.

Ao proteger-se está a proteger os seus familiares!

O Vosso Presidente, Fernando Nogueira.

Print Friendly, PDF & Email
Me gusta
Me gusta Me encanta Me divierte Me asombra Me entristece Me enfada